quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

TU ÉS


Tu és pura como a água cristalina,
Suave como a brisa do mar,
Brilhante como a estrela matutina,
Bela como a noite de luar...
Tu és doce como o mel,
Forte como a leoa,
Infinita como o céu,
Livre como o pássaro que voa...
Tu és preciosa como uma jóia rara,
Encantada como um oásis no deserto,
Maravilhosa como a rua clara,
Penetrante como um olhar tão perto...
Tu és sincera como a palavra verdadeira,
Gostosa como a doce loucura,
Eficaz como uma flecha certeira,
Cativante como uma paixão sem cura...
Tu és ingênua como a flor,
Delicada como a nobreza,
Eterna como o verdadeiro amor,
Perfeita como à própria natureza.


JOÃO PEDRO


Gosto..

Gosto do gosto dos teus lábios
Molhados, sensuais
Adoro o teu corpo, esbelto
Que estremece, quando toco

Gosto das tuas ancas
Finas, e sedutoras
Adoro o teu cheiro
A rosas, perfumadas

Gosto quando sorris
Teu rosto se ilumina
E o teu olhar…me enfeitiça
Penetrante, mas terno

Gosto das tuas mãos
Brancas, e finas
Que sabem acariciar
Deslizando, suavemente,

Pelo meu corpo…

Toda tu, és o meu sonho…
Que um dia, que um dia…
Se tornará realidade…
Numa qualquer...

JOÃO PEDRO

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

TU


TU


Em cada momento um ato

Em cada ato um pensamento

Em cada pensamento uma saudade

Em cada saudade tu

cada hora uma história

Em cada história uma aventura

Em cada aventura uma lembrança

Em cada lembrança, tu

cada dia um livro

Em cada livro um porquê

Em cada porquê uma resposta

Em cada resposta, tu

cada amor uma vida

Em cada vida um saber

Em cada saber uma certeza

Certeza de gostar de tu

cada música um canto

Em cada canto uma poesia

Em cada poesia um beijo

Em cada beijo um desejo

Em cada desejo, tu

cada pássaro um vôo

Em cada vôo uma paixão

Em cada paixão uma loucura

Em cada loucura, tu

cada sorriso uma alegria

Em cada alegria uma felicidade

Em cada felicidade uma vontade

Em cada vontade uma satisfação

Em cada satisfação um prazer

Em cada prazer.....Tu

Só tu ,eternamente Tu

João Pedro

EU TE DARIA


Eu te daria o mundo

Se eu pudesse pegá-lo com as mãos

Eu te daria a vida

Se tu pudesses me ter sempre na memória

Eu te daria minhas mãos

Como um gesto de carinho

Eu te daria um sorriso

Para nunca te ver triste

Eu te daria palavras

Como um consolo,nas horas difíceis

Eu te daria o meu ombro

Para tu poderes chorar

Eu te daria o meu abraço

Para te esquentar,nas noites frias

Eu te daria o meu colo

Para tu desabafares

Eu te daria a luz

Para caminhos mais claros

Eu te daria uma flor

Para que dela,te lembrasses de mim

Eu te daria os olhos

Para que neles voltassem o brilho,porquese parecem com os meus

Eu te daria o amor,a paixão

Para que tu sentisses no coração

Que o meu amor clama pelo teu

Que é tão puro,tão lindo ,tão forte

Que sempre vai seguir

Teu cheiro ,teu abraço

E que sempre vai estar diante

E nunca distante,dos teus passos...


JOÃO PEDRO

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Tu és ...



Tu és...

tu és ...a água fresquinha
que chega matando a sede.


Tu és ...o alimento saudável
que sustenta e fortifica.


Tu és ...o ar
que recupera uma vida.


Tu és ...o remédio
que alivia uma dor.


Tu és ...o raio de sol
que aquece, nos dias de inverno.


Tu és ...o arco-íris
que surge depois da borrasca.


Tu és ...o aroma das flores,
nas manhãs de primavera.


Tu és ...o canto dos passarinhos,
nos telhados, em final de tarde.


Tu és ...aquele presente
que chega sem ser esperado.


tu és ...a emoção gostosa
que faz o coração bater mais forte.


Tu és ...o único motivo
que me faz crer, que ainda vale a pena viver!


João Pedro

A CURVA DOS TEUS OLHOS


A Curva dos Teus Olhos

A curva dos teus olhos

dá a volta ao meu peito

É uma dança de roda e de doçura.

Berço nocturno e auréola do tempo,

Se já não sei tudo o que vivi

É que os teus olhos não me viram sempre.



Folhas do dia e musgos do orvalho,

Hastes de brisas, sorrisos de perfume,

Asas de luz cobrindo o mundo inteiro,

Barcos de céu e barcos do mar,

Caçadores dos sons e nascentes das cores.



Perfume esparso de um manancial de auroras

Abandonado sobre a palha dos astros,

Como o dia depende da inocência

O mundo inteiro depende dos teus olhos

E todo o meu sangue corre no teu olhar.

JOÃO PEDRO

O Teu Olhar nos Meus Olhos


O Teu Olhar nos Meus Olhos


Sempre onde tu estás

Naquilo que faço

Viras-te agarras os braços



Toco-te onde te viras

O teu olhar nos meus olhos



Viro-me para tocar nos teus braços

Agarras o meu tocar em ti



Toco-te para te ter de ti

A única forma do teu olhar

Viro o teu rosto para mim



Sempre onde tu estás

Toco-te para te amar olho para os teus olhos.


JOÃO PEDRO

Os Teus Desejos


OS TEUS DESEJOS

É o equilíbrio do teu corpo
A beleza da tua suavidade
Os teus desejos,
A inocência da tua maldade
Que me despertam.

Tu és o símbolo do efémero
Que eu desejo guardar.

Tu és o mármore esculpido
Que mesmo depois de possuído
Continua fresco e deslizante.

Tu és a mulher peregrina
Que estando escrita na minha sina
És primavera, outono e amante

JOÃO PEDRO

OS TEUS OLHOS...


OS TEUS OLHOS

Os teus olhos
Como eles riem
Quando fazes amor.

E no êxtase
Em que mergulhas
Nesse ritual indescritível
De prazer e sofreguidão,
Os teus olhos
Suspiram.

Gemem prazeres.

Nunca vi assim outros iguais
Que pedindo sempre mais e mais
Perturbam-se, enlouquecem.

Nesse mesmo instante,
O teu peito ofegante
Cai desamparado nos meus br
aços.

JOÃO PEDRO

O TEU OLHAR



O TEU OLHAR

O teu olhar
Suplicante.

Insatisfeito.

Completa-se no meu olhar,
Nos desejos e ambições,
Na tensa atmosfera da vida.

O teu olhar
Quer
Intensamente a felicidade.

Aqui tens.

Sou o zéfiro que procuras.


JOÃO PEDRO



NO TEMPO QUE PASSA... !!



NO TEMPO QUE PASSA

No mar que navego
Na voz que oiço,
No corpo que possuo
No tempo que passa
Só tu, tens o saber da vida,
O sentido das emoções
O instintivo talento do amor,
O toque imprevisível
Que torna um prazer eterno.



Só tu, com os teus expressivos olhos
O sussurrar do coração entre os dedos
Conheces do amor os segredos
E assim fascinas, assim cativas.


JOÃO PEDRO

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Se Eu Pudesse


SE EU PUDESSE:



.. me transformaria numa suave brisa matinal,

para acariciar dedicadamente teu rosto.



Quem sabe...

Num forte vento, para brincar com teus lindos cabelos.


Ou talvez....

Numa chuva fina, para furtivamente percorrer todo teu ser.




Ah! se eu pudesse...

seu eu pudesse.. me transformaria num belo sol,

para acalentar e iluminar teus dias.


Quem sabe...

no ar que te rodeia,para inalar teu cheiro e teu perfume.


Ou talvez...

Numa bruma vespertina, para suavemente te abraçar.




Ha! se eu pudesse...

Se eu pudesse.. me transformaria numa linda lua cheia,

para velar e proteger teu sono.


Quem sabe...

Num sono lindo, para inundar de felicidade teu coração.


Ou talvez..

No teu própio coração, para ficar eternamente juntinho a ti.



Ha ! Se Eu Pudesse



JOÃO PEDRO

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

UM SONHO



Um sonho

Quero o sonho

em forma de desafio,

marcado, delicado

nas estóriasdo teu corpo.


Quero em tua boca,

o beijo de fome,

selvagem,

sem vácuo.


Quero correr teus trejeitos,

quando menina-levada,

linda em teus sonhos,

mostra o caminho pra ti.


JOÃO PEDRO

DO OUTRO LADO



Do Outro Lado


Por um instante eu quero trocar -te,

E sentir-te do outro lado do olhar,

Que me faz sentir tão grande,

Que me faz acreditar que preciso Gostar.
Por um instante eu quero ser-te,

Olhando em meus olhos,

E vendo como é grande o meu amor.

Eu quero sentir teus sentimentos,

E entender como conseguem completar os meus,

Que já não me parecem ter mais fim.

Por um instante eu quero que tu sejas eu,

Quero que sintas o quanto gosto de ti,

E o quanto é difícil agir normalmente,

Em meio a este mundo de sentimentos.

Daqui em diante não posso mais te guiar,

Segue o vento do amor refrescando teu coração.

Esse Vento sou eu


JOÃO PEDRO

BRILHO


Brilho



Ainda que o amor ao meu coração possa voltar,

Ainda que à terra o céu possa tocar,

Nada a Tua imagem irá apagar.





Nos devaneios da solidão,

Teu brilho ecoa em minha alma,

E insiste em me queimar.





A ira deforma uma realidade,

Que nada consegue espantar,

Iluminando ainda mais Teu brilho,

Que insiste em me queimar.





Sei que a razão a tudo alcança,

Alimentando a experança,

De um dia Teu brilho apagar.



JOÃO PEDRO